Fórum sela parcerias para promover a “inclusão”

No último dia 26 de julho, autoridades e especialistas estiveram reunidos durante o 1º Fórum ESG + DUDA (Design Universal + Diversidade Assistiva) no Miniauditório da Secretaria do Direito da Pessoa com Deficiência, na capital paulista. 

O encontro visou deliberar sobre a importância da inclusão “praticada” englobando lugares, pessoas, normativas com linguagem direta e adequadas à realidade das empresas, maior participação do governo em suas bases e projetos; acertando o compasso entre a teoria e a iniciativa de trazer iniciações práticas que sirvam de espelho para a sociedade, principalmente para as novas cabeças que possam contribuir para tornar o cotidiano das pessoas mais seguro e confortável. Além disso, é uma maneira para proporcionar mais autonomia, bem-estar, qualidade de vida, liberdade para todos.

As principais dificuldades enfrentadas pelas pessoas com deficiência e da diversidade assistiva, que englobam grávidas, idosos, pessoas com baixa estatura, com pouca ou baixa visão, obesos, acidentados, são as barreiras arquitetônicas, as barreiras comunicacionais e as barreiras atitudinais, que impedem ou prejudicam a participação social da pessoa com deficiência em igualdade de condições e oportunidades com as demais pessoas, geralmente ligadas ao preconceito e, principalmente, pela falta de conhecimentos.

Participar do Fórum Duda para mim foi uma grata surpresa e estou saindo daqui desse Fórum com uma gratidão imensa. O meu sentimento maior é esse. Poder participar desse grupo que está buscando, cada vez mais, melhorar a vida das pessoas com deficiência e nesse Fórum, eu descobri que na verdade a pessoa com deficiência sou eu, porque sou eu que tenho que aprender muito mais com as pessoas com deficiência sobre descobertas, humanidade e compaixão. Então, o Fórum foi um divisor de águas na minha vida, e quero continuar com esse grupo e poder contribuir para que o mundo seja inclusivo e que seja um mundo mais humano para todos porque esse é um direito nosso” (ruiva) Soraia Monteiro, diretora comercial da Acessible Kit ferramenta de solução em acessibilidade digital n a web.

Sobre o Fórum

A primeira edição do Fórum ESG + DUDA (Design Universal + Diversidade Assistiva) reuniu profissionais de diversas áreas e formadores de opinião do segmento da pessoa com deficiência e da diversidade assistiva: Rodrigo Rosso (Sistema Reação de Comunicação), Luciana Ferrarezi (FATEC), o juiz de direito aposentado Gersino Prado, o arquiteto Maycon Fogliene, Carol Ignarra (Talento Incluir) e Soraia Monteiro (Acessible Kit) além de Marcelo Vilas Boas do GapDap – Grupo de Apoio a pessoas com depressão, ansiedade e pânico para marcar a abertura.

Entre os assuntos discutidos por cada representante de entidades estão a necessidade de formar parcerias e formar novos profissionais que comecem a absorver em seu cotidiano, a necessidade de criar produtos, pensar leis, normas, locais, entre outros as soluções para as pessoas que precisam estar sempre lembrando que as pessoas não são padronizadas e que possuem necessidades diferentes, sem que sejam discriminadas.

Foi estipulada a criação de um grupo de discussão com todos os participantes, dando continuidade ao Fórum e já convidando para o próximo com data marcada para o dia 27 de setembro, no mesmo local.

“Falar sobre diversidade, acessibilidade, sobre desenho universal e trazer as experiências da Secretaria da Pessoa com Deficiência da cidade de São Paulo daqui deste Fórum, trocando experiências com outros pares, foi muito importante, um tema importante e necessário que eu fiquei feliz em poder participar”, declara Silvia Grecco, secretária municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

Para Rodolfo Sonnewend, presidente do Instituto Humanus e organizador do evento: “Quando pensamos em inclusão, não estamos falando somente de cotas ou similares;  mas sim em apresentar as vantagens para os empresários e gestores em agregar essa parte da população que é produtiva, mas que não consegue autonomia ou representatividade “aparente”. É preciso começar a oferecer soluções práticas ao invés de passarmos longos tempos levantando necessidades”.

Parcerias ABNT e CB-40: elaboração e revisão das normas de acessibilidade

Na parceria firmada na primeira semana de agosto visa a cooperação entre a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas e o Instituto Humanus para Pessoas com Deficiência, para suporte de atividades que visem ao atendimento das necessidades de normalização do setor de Pessoas com Deficiência, Mobilidade Reduzida e da Diversidade Assistiva, desenvolvidas pelo ABNT/CB-40 – Comitê Brasileiro de Acessibilidade com o seguinte âmbito de atuação: “Normalização no campo de acessibilidade atendendo aos preceitos de desenho universal, estabelecendo requisitos que sejam adotados em edificações, espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, meios de transporte, meios de comunicação de qualquer natureza, e seus acessórios, para que possam ser utilizados por pessoas com deficiência, mobilidade reduzida e da diversidade assistiva”.

Trazer parceiros, elaborar a reavaliação das normas que atualmente atendem somente em serviços e produtos da pessoa com deficiência, mas também inserir o olhar para o público da diversidade assistiva; incluindo todos os membros e, com isso, atualizar o que for necessário para agregar esse público que precisa de representatividade efetiva em todos os campos de interação com a sociedade é o principal objetivo do Instituto.

Entre as propostas, estão previstas a criação de Subcomitês com maior abrangência nas ações normativas; conteúdo Atitudinal, Legal e Tecnologias Assistivas Analógica, Digital Clínica e Medicamentos.

 

 

 

Parceria em Educação FATEC/Taquaritinga

A diretora da FATEC/TQ, Luciana Ferrarezi, explanou sobre a parceria com o Instituto Humanus em acrescentar na grade curricular a disciplina que trata sobre diversidade assistiva e o design universal; formando profissionais capacitados a desenvolver produtos com foco no design universal aplicado a tecnologia assistiva.  O projeto terá início na unidade de Taquaritinga e depois seguirá para as outras unidades.

A ação tem início efetivo na primeira quinzena de agosto com a palestra “Design Universal e ferramentas de tecnologia assistiva para a transformação da sociedade” quando o Instituto Humanus estará na unidade de Taquaritinga com o objetivo de despertar o senso inclusivo atitudinal e despertar nos alunos a percepção da importância de aplicar esses conceitos em todos os projetos para que todos, sem distinção, possam usufruir desses benefícios da tecnologia aliada ao Design Universal.

“Participar do 1º Fórum Duda foi uma honra, e estar junto com tantas pessoas nessa linha da construção que estamos hoje na FATEC Taquaritinga, Centro Paula Souza com tecnologias assistivas e o apoio do Instituto Humanus. Então nós vamos trilhar esse caminho dentro da nossa graduação, o aculturamento de todos da nossa comunidade, professores, alunos e funcionários” declara Luciana Ferrarezi, doutora em educação e diretora da unidade.

ESG e as pessoas de baixa estatura, gestantes, obesos, com pouca ou nenhuma visão, cadeirantes, surdos – uma diversidade que precisa ser assistida

A sigla em inglês ESG representa a sustentabilidade ambiental, social e de governança corporativa – Environmental, Social and Governance.  Mais do que evitar a deterioração dos recursos naturais, a abordagem do ESG tem como objetivo integrar as preocupações ambientais, sociais e de governança corporativa nas decisões de investimento e gestão empresarial.

Embora a acessibilidade seja garantida por lei no Brasil, diariamente, as pessoas com mobilidade reduzida, como gestantes, idosos, obesos, pessoas com deficiência locomotiva, com baixa ou nenhuma visão, principalmente as acompanhados de cães guia, enfrentam diversos desafios. Na prática, a acessibilidade no nosso país é algo que precisa ser discutida; afinal, é uma forma para chamar a atenção das empresas e dos órgãos competentes sobre algumas ações que podem (e devem) ser implementadas.

Procurar ou se manter em um emprego, utilizar transportes públicos, acesso em locais fora e dentro de casa, tudo isso porque os gestores públicos, empresários e o consciente coletivo da população ainda não estão antenados que existe uma gama de pessoas que precisam de um olhar inclusivo e empático na hora de contratar, elaborar seus projetos, desenvolver novas tecnologias, políticas públicas, entre outras formas de realizar a integração.

Acompanhar as novas tecnologias e prestar serviços que nos ajude a acolher as mais diversas necessidades de todos. São muitas as discussões sobre comprometimentos de empresas, a proposta do Fórum e do Grupo de Discussões é o de debater e deliberar sobre normativas e práticas que deverão promover um despertar para campos que ofereçam oportunidades aos grupos minoritários nos espaços profissionais.

Já está marcado outra data para o Segundo Fórum ESG + Duda, que ocorrerá no dia 27 de setembro no mesmo horário e local. As inscrições já estão abertas no site www. Institutohumanus.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *